quinta-feira, 23 de maio de 2013

Pareidolia de Exu

Pareidolia (do grego para - ao lado; e eidolon – imagem, forma) é um fenômeno psicológico que caracteriza-se por interpretações errôneas de estímulos vagos, frequentemente imagens e sons, tomados como significativos e importantes. Exemplos incluem interpretações involuntárias de nuvens como feições ou animais e percepções de mensagens ocultas em músicas tocadas para trás.
A pareidolia pode explicar certas visões e aparições de figuras santas como a silhueta de Nossa Senhora, representada como uma sombra na parede, São Jorge montado em seu cavalo na Lua, ou a face de Deus no reflexo da luz sobre a água. No Brasil, São Jorge está associado à Lua devido a influências de tradições religiosas africanas. A divindade Oxossi é ligada à Lua e conectada com São Jorge. Acredita-se que os tons de cinza na lua cheia representam São Jorge segurando sua espada em seu cavalo. Alguns psicólogos ainda incentivam a pareidolia para se aproximar da psique de pacientes pelo teste de Rorschach.

(Trecho tirado do artigo Neuropareidolia: diagnostic clues apropos of visual illusions, de autoria de Péricles Maranhão-Filho e Maurice B. Vincent. Tradução livre a partir do texto original disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-282X2009000600033&lang=pt>)

Segundo cientistas, o fenômeno da pareidolia é fundamental nas tradições religiosas. É o que permitiria, por exemplo, a leitura de oráculos. Ou ainda visualizar divindades em torradas e espelhos.

A leitora Julia Picchioni, por exemplo, encontrou Exu em um espelho e enviou a foto para provar.

Imagem de Exu no espelho, registrado por Julia Picchioni


A pareidolia pode ser um fenômeno que leva a interpretações errôneas. Mas segundo teorias semióticas, tudo é imagem, e não objeto. E ao nos depararmos com uma imagem, ela é verdadeira em si mesma. Assim vale se perguntar se seria tal imagem, tão semelhante a Exu, um mero engano de nossa psique. Uma coisa é inegável: já que nosso objeto de estudo é Exu, não há dúvidas que tomaríamos esta imagem como significativa e importante.

Um comentário: